BLOG

Os prejuízos do excesso de exigência



Mas como identificamos que a exigência está em excesso? Nós sentimos!


Normalmente o excesso de exigência traz muito desconforto. Recebo pessoas com muita ansiedade ou achando que estão deprimidas, pois acabam se esgotando e se apagando do dia a dia para não precisarem dar conta das exigências vindas dos outros ou de si mesmas. Não é raro que falem sobre desejos de fugir ou “acabar com tudo”, desistir. Seja do que for. Quando essas falas aparecem é preciso investigar o que está acontecendo, o que está por trás de percepções de insuficiências, incapacidades etc... Muitos desses desejos respondem a sensação de não ter mais força para lidar com o que se sente obrigado a realizar, cumprir ou desempenhar.


Os excessos de exigência estão muito presentes em nossas vidas, de diferentes formas. Cada vez mais, nos exigimos performance e desempenho. Familiares podem exigir sem se dar conta por projetar seus desejos nos filhos. Situações de vida ou interações relacionais podem vir acompanhadas de muita exigência. Cabe a nós identificarmos e vermos o que é possível fazer, especialmente quanto ao reconhecimento de limitações que nada tem a ver com menos valia.


Vejo isso acontecendo constantemente com mulheres que, sem se darem conta, trabalham, estudam por igual aos companheiros, mas ainda não aprenderam a dividir funções relacionadas aos cuidados com filhos e casa. Também tenho visto muito disso neste contexto de pandemia, em que ainda não aprendemos a dar limites as atividades online.


Mas devo sempre ressaltar que a pior exigência é aquela que deixa de vir do meio e passa a vir de nós mesmos, por ter sido internalizada. Seja qual for. Quando percebo isso acontecendo a aqueles que acompanho, costumo me perguntar: o que está acontecendo com esta pessoa e de onde vem isso.


Outro dia recebi uma moça que iniciava o seu estágio em um curso e se cobrava como se já tivesse que estar pronta. Observe o nosso diálogo.

Erros nem pensar, ela disse.

Um estágio sem errar? Perguntei.

Não estou acostumada a ser pouco.

Ser pouco... Ela se enrijeceu. E a sofrer esta acostumada?

Ela desabou no choro, logo depois começou a falar sobre este ser pouco. Então começamos a olhar para o que estava no fundo disso.


Foi muito bom para ela pois, ao rever estas questões, ela pode começar a gostar do estágio que tinha sonhado fazer por toda a sua vida e até então só odiava.


Conseguiu perceber a tamanha exigência para o nível de aprendizado dela? E o quanto ela sofria por isso?


Viu só, onde o excesso de exigência pode nos levar? Então esteja atento a isso, tente perceber as exigências que faz a você mesmo, aos seus filhos, companheiros, funcionários... e se forem muito altas veja o que pode fazer para aliviar.


E se precisar de uma forcinha para olhar para as suas exigências, entre em contato.

Boa semana!!


Posts recentes

Ver tudo