31 de dezembro de 2017

2018 vem aí! Veja as orientações da Astrologia Chinesa e da sabedoria oriental

Todo final de ano eu uso ferramentas da Astrologia Chinesa e da leitura sistêmica dos cinco elementos para fazer reflexões com aqueles que acompanho. São leituras sobre situações vividas neste período, sobre a perspectiva do perfil constitucional de cada um e suas possibilidades de desenvolvimento no contexto atual.  Esta prática já é esperada por muitas pessoas, bem como a publicação do meu olhar sobre o ano.
Da mesma forma uso a leitura astrológica chinesa para iniciar o ano, mostrando os nuances a serem desenvolvidos. Uma referência do que estará propício para olhar e desenvolver, sendo do perfil que se é.

Leia mais a baixo as tradicionais orientações para 2018! Ano Cão de Terra!


Refletindo,  revisando e se despedindo  2017 -  Ano de Galo de Fogo.
O elemento Fogo esteve na regência e isso nos trouxe a força do yang em seus nuances positivos e negativos. Ano  intenso, marcado por muita força e agitação. Em seu melhor aspecto tivemos o favorecimento da ação para fora, que se bem usada, nos ensinou o posicionamento pessoal. Foi um ano de se mostrar, de assumir a imagem e fazer escolhas. Características que favorecem o percurso do aprendiz e o ensina a posição do uso dos poderes pessoais. 
Porém, fomos constantemente testados em situações que pediam decisões. Algumas difíceis, outras menos, mas acompanhadas de bastante ansiedade, um componente forte da regência do elemento Fogo.
A influência do Galo nos trouxe aprendizados relacionados a  estética, a imagem, a vivência da energia voltada ao externo. O belo e a diversão tão fundamentais a vida.

O saldo pedia a definição da identidade, o que é próprio a cada um. A experiência da exuberância, a percepção da extravagância, do que se destaca em cada um de nós, da coragem.  Um ano de poderes voltados ao pessoal.

Atingiu os objetivos e ganhou tons de sabedoria em sua jornada, quem conquistou poder com humildade, posicionamento com respeito e a consciência do seu potencial de ação e  da reação que segue.



Para 2018...  Novas energias, vem aí um mudança de ciclo!

Ano Cão de Terra – o tema será: busque  o seu equilíbrio.

Este tema, em Cão,  se refere a solicitação de valores menos individualistas, que não estarão  mais voltados ao externo como nos últimos dois ciclos e voltam-se ao meio. O poder estará relacionado ao manejo da boa dosagem de yang/yin em todas as situações. O discípulo deve aprender a usar suas forças com mais empatia, diminuindo o EU para voltar-se ao NÓS.
  
Um ano Terra nos oferece o meio (++--), a experiência direta do: eu/outro, força/suavidade, atividade/passividade, sim/não, permissão/limite. O elemento Terra está no centro de todos os elementos,  une e comunica os movimentos  ( para fora / para dentro ),  em qualquer sistema.
 
Neste momento, depois do Galo de Fogo,  o discípulo já entrou em contato com o que é seu, com seus poderes pessoais. Teve a oportunidade de aprender  a se impor, agora deve aprender a ouvir, dar mais voz, ser  flexível, tolerar, ampliar a aceitação do não eu, se experimentar na sabedoria do Nós . Para muitos será um ano difícil.

A regência do Cão deve nos  ajudar a apropriação destes poderes tão emergentes  para os dias que vivemos.  Precisaremos nos voltar a ações  de mais empatia, o cão solicita respeito,  lealdade e  honestidade.  Caso contrário ele “ataca” e, em um ano Terra, o discípulo se ressentirá e tenderá a depressão.

Vem aí energias que a muito estávamos precisando, mas não significa que  as mudanças ocorrerão  da noite pro dia, significa que esta força estará no ar nos empurrando para as mudanças.  Estarão mergulhando nas entranhas dos nossos acontecimentos e que quem não estiver a favor da maré, talvez, tenha que nadar muito e  perca suas forças.  Estaremos, como as marés, como os demais  ciclos da vida  a mercê das influências  da Terra mãe, que para ensinar,  nem sempre é piedosa com seus filhos. E  sob a regência do Cão – que na mitologia chinesa é selvagem.

Será um marco em termos de mudanças e toda mudança pode ser bem difícil. A tendência do discípulo ressentido leva a excesso de preocupação, a dúvida  e a persistência no erro, pode chegar ao esgotamento e  depressão.  Portanto preste atenção nos excessos de todos os gêneros – não será um ano para extravagâncias e sim para equilíbrio.

O novo ciclo vai pedir o retorno ao Nós, a família, ao apoio dos amigos sinceros, a verdadeira convivência, a mediação nas relações.  

Quem estiver empreendendo deverá se voltar para ações que apontem cada vez mais para o valor do humano.  Assim terão sucesso. Resignificar será fundamental, caso contrário podem haver perdas.

Esteja atento ao  equilíbrio, não exatamente o meio como a palavra parece pedir, mas um manejo médio das ações. Está será a lição.   Dar/receber, ação/recolhimento, movimento/espera, cor/espirito, trabalho/descanso, festa/retiro...sempre se voltando ao cuidado consigo e com o outro. 
   
Cuidado com as dúvidas, se escute, escute,  volte-se para dentro e decida sem hesitação, seguindo sua intuição.   A influência Terra costuma levar a dúvida, mas a consciência da lição deste ciclo ajudará na boa escolha. 


Desejo a todos bons dias de despedida do Galo de Fogo e um ótimo ciclo Cão de Terra!!!