25 de agosto de 2016

Falando de tolerância – para pais de adolescentes


Até onde devo tolerar determinados comportamentos da minha filha adolescente? Esta foi a pergunta de uma mãe preocupada.

Aprender a tolerar trata-se de um exercício, talvez mais frequente e árduo para pais de adolescentes. A adolescência é a fase da reedição de tudo que não ficou bem resolvido nas fases anteriores. Os problemas enfrentados na infância voltam como uma oportunidade para melhorar. Daí vem a expressão: crise normativa da adolescência.

Então é necessário contextualizar, entender que comportamentos difíceis são estes e porque estão presentes.  Entendendo os porquês fica bem mais fácil tolerar e assim entrar junto no tratamento.

Me agrada traçar  uma estratégia para ajudar os adolescentes que acompanho e quando os pais participam, com o seu tanto de tolerância e aprendizados próprios, funciona muito melhor.

Mas até onde tolerar? Está aí uma boa pergunta que devemos nos fazer.

Vivemos um momento relacional de muita intolerância, mesmo que estejamos sendo chamados a atenção a todo tempo sobre a importância do respeito as diferenças, muitos de nós,  ainda não internalizaram isso como um valor fundamental,  estamos engatinhando,  fazendo ainda  pelo politicamente correto. E tudo bem! Já temos um avanço.

Tolerar a escolha do outro é difícil? Aquele jeito que não é o seu, aquela forma de responder, de reagir, de se afetar, de se emocionar tão distinta. Será que isso pode parecer ameaçador por não ter sido o que se elegeu como valores e crenças importantes? Sim, é mais ou menos por aí.

Mas será que para convivermos com diferenças precisamos abrir mão do que acreditamos? Não claro que não! Na maioria das vezes é possível negociar, achar formas e jeitos de respeito mútuo. Para tolerarmos diferenças precisamos estar certos do que somos, queremos, elegemos ... assim não nos sentimos ameaçados!

Portanto tolerar trata-se de uma arte, em que o equilíbrio entre ceder e aceitar é essencial.  Está é a grande arte dos relacionamentos.

Difícil? Um pouco com alguns grupos, algumas pessoas, em certos cenários em que vivemos. Mas gosto de pensar que é possível e que precisamos fazer a nossa parte para que isso aconteça.

No caso de  pais de adolescentes, vale ser o modelo. Um sábio adulto que exercita tolerância, respeito e a própria autenticidade e, desta forma, ensina a exercitar na prática.

Pensando assim, você pode ter certeza que saberá até onde precisa tolerar e fará bem o seu papel de pai ou mãe, presente e saudável.

10 de agosto de 2016

Hoje lembrei... poema



Hoje lembrei...
Que não deveria importar se sou branco, negro, amarelo ou vermelho.
Mas que sou cidadão, talvez, estagiando de "ser humano" na escola da vida.
...
Hoje lembrei...
Que não há nenhuma religião acima da verdade.
E que o Divino pode se manifestar em diferentes formas.

Hoje lembrei...
Que se pode escutar músicas com o coração.
E que não devo me separar das minhas escolhas.

Hoje lembrei...
Que espiritualidade não é um lugar, ou grupo ou doutrina.
Na verdade, é um estado de consciência.

Hoje lembrei...
Que ninguém compra Discernimento ou Amor.
E que não há progresso consciencial verdadeiro se não houver esforço.

Hoje lembrei...
Que o dia em que nasci não foi feriado na Terra.
E que, é bem provável, que não será no dia em que eu partir. 

Hoje lembrei...
Que tudo aquilo que eu penso e sinto se reflete em mim.
E que minhas energias me revelam por inteiro. Logo, preciso crescer muito, para melhorar.
... 
Hoje lembrei...
Que não sou o centro do universo.
Que Sem Amor, o meu coração fica seco, meus olhos sem brilho.
E que sem uma crença o meu viver perde o sentido.
 ...
Hoje lembrei...
Que ninguém sabe tudo e que conhecimento não é sabedoria.
E que todos nós somos professores e Alunos uns dos outros.
...
Hoje lembrei...
Que viver não é só para comer, beber, dormir, copular, isso é bastante mas,
viver é muito mais, é poder pensar, sentir e viajar, 
E sempre aprender.

Hoje lembrei...
Que de nada vale ganhar o mundo e perder a alma.
E que o mal que me faz mal, não é o mal que me fazem, mas, sim o mal que acalento.
...
Enfim, lembrei que ter Gratidão sonhar e realizar me faz muito bem!


Uma adaptação do poema, Hoje me lembrei... de cunho mais espiritualizado
de autor desconhecido