24 de agosto de 2015

As crises positivas da adolescência

Para muitos pais a adolescência é uma fase difícil de lidar com os filhos. Uma etapa da vida que os jovens  parecem não ouvir mais seus pais e também criticam tudo o que eles dizem. Um contraste com o que se vinha vivendo até então. E muitos se sentem perdidos quanto a como agir. O fato é que quanto mais compreendemos o processo mais podemos lidar de forma adequada com as mudanças, exigências, distanciamentos,  dificuldades de comunicação e demais questões da fase. 

Em meu trabalho com os jovens vejo constantemente o quanto eles podem ser difíceis de lidar  e também o quanto precisam de apoio, compreensão e contenção para chegar as suas resoluções. Percebo que pais bem informados conseguem passar pela adolescência de seus filhos de forma mais tranquila e aprendem, durante o processo, um jeito de equilibrar o seu papel de acolhedor e educador sem tanto desgaste para a relação. 

Entendendo um pouco mais
Esta fase é marcada por muitas resoluções que definirão a identidade.  Este é o principal desafio da fase. Neste processo existem uma serie de questões que aparecerão para todo o jovem, estas serão as resoluções básicas.  Mas o "colorido" de cada jovem, isto é a suas particularidades,  será definido pelas suas próprias resoluções quanto a sua afetividade, segurança, confiança, autonomia, potencial criativo, curiosidade, produtividade, intelectualidade, questões relacionais, sexualidade ... Questões que estão ligadas as suas experiencias anteriores mais as suas experiencias atuais e ajustes próprios.

Caso algo não tenha ficado bem nas etapas anteriores, agora voltará e será revisto e é isto que determina o que conhecemos por "crise" da adolescência. Cada um com a sua. Mas ai está uma nova possibilidade de se ajustar as necessidades que a vida vai nos propondo. Algo muito positivo, mas trabalhoso.  

Para alguns pais pode ser um alívio entender que estas resoluções, neste momento, pedem internamente, um nível de distanciamento e de crítica aos pais e, mais alívio ainda, saber que muitos comportamentos são tidos como “normais” e fundamentais.


É bom saber que 
A lógica interna agora é de que os pais precisam ser relativamente “abandonados” e isso não é fácil, nem para eles nem para os pais. Para eles só tem um jeito (inconsciente é claro) “rejeita-los” em maior ou menor grau, para os pais resta entender e fazer o seu melhor possível.

Dica
Esteja atento ao seu filho, procure se informar sobre as características da adolescência para lidar melhor com o que vai aparecendo. Se ele estiver com muitas dificuldades procure um profissional que possa ajuda-lo a dialogar com alguém neutro, apoia-lo e informa-lo, sem que ele entenda que isto seja para coloca-lo nas rédeas. Eu mesma estou retomando um grupo de bate-papo com os jovens que precisam de um espaço para compartilhar suas questões com iguais. Logo estarei divulgando, enquanto isso disponibilizo minha ajuda no consultório. 

A baixo deixo um convite para um trabalho bem bom da estudiosa  Evânia Reichert. Eu estarei lá como ouvinte.   

 Para pais, educadores, terapeutas e interessados no tema
Coordenação Evânia Reichert
Dia 31 de agosto, das 19h às 22h30 em Porto Alegre 
Inscrições até o dia 19/08 têm 10% de desconto

ADOLESCÊNCIA
Uma oportunidade de integrar pendências da infância
___________________________________________________
Em um curso/seminário de três horas e meia, vamos adentrar nas etapas da crise da adolescência e no processo de resolução da identidade que marca essa idade. Com o fim da infância, irrompem os temas pendentes que necessitam ser integrados para a entrada no mundo adulto.
A adolescência é um momento crucial de resolução da nossa identidade. "Quem sou eu, o que quero fazer e viver?" são as perguntas centrais que marcam essa idade. É um momento decisivo para o adolescente e geralmente difícil para a relação pais e filhos, professores e alunos, mas também uma grande oportunidade de crescimento pessoal de adultos e adolescentes. O modo como os pais lidam com essas questões pode afetar, tanto positiva quanto negativamente o processo de resolução da identidade, crucial a quem está adolescendo.


Informações e inscrições com Joana Izabel: info.cursos@valedoser.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário