30 de agosto de 2015

Um pouco de delicadeza



"Um encontro pouco comum, entre o amor e a ternura, não tinha outra coisa. Tinha nome de flor e vivia entre as palavras. Adjetivos rebuscados, verbos que cresciam como a grama, alguns ficavam. Entrou suavemente desde o córtex até o meu coração.

Nas histórias de amor há mais que amor. Às vezes não há nenhum 'eu te amo', mas se amam.
Um encontro pouco comum. Eu a conheci por acaso no parque. Ela não ocupava muito espaço, era do tamanho de uma pomba com as suas penas. Envolta em palavras, em nomes, como o meu. Ela me deu um livro, e outro, e as páginas se iluminaram. Não morra agora, há tempo, espere. Não é a hora, florzinha. Me dê um pouco mais de você. Me dê um pouco mais de sua vida. Espere.
Nas histórias de amor há mais que amor. Às vezes não há nenhum 'eu te amo', mas se amam."



Estas são as palavras são do final do filme "Minhas tardes com Margueritte" de Jean Becker.
Um filme sobre pessoas comuns, coisas do cotidiano. Uma história sobre o encontro inesperado de Germain (Gérard Depardieu), um homem aparentemente rude, solitário e iletrado e uma senhora de 95 anos, Margueritte, (Gisèle Casadesu) que vive numa casa de idosos e que é encantada pela experiência da vida e, sobretudo, pela literatura.

Muito bonito! De uma sensibilidade e delicadeza encantadora. 



24 de agosto de 2015

As crises positivas da adolescência

Para muitos pais a adolescência é uma fase difícil de lidar com os filhos. Uma etapa da vida que os jovens  parecem não ouvir mais seus pais e também criticam tudo o que eles dizem. Um contraste com o que se vinha vivendo até então. E muitos se sentem perdidos quanto a como agir. O fato é que quanto mais compreendemos o processo mais podemos lidar de forma adequada com as mudanças, exigências, distanciamentos,  dificuldades de comunicação e demais questões da fase. 

Em meu trabalho com os jovens vejo constantemente o quanto eles podem ser difíceis de lidar  e também o quanto precisam de apoio, compreensão e contenção para chegar as suas resoluções. Percebo que pais bem informados conseguem passar pela adolescência de seus filhos de forma mais tranquila e aprendem, durante o processo, um jeito de equilibrar o seu papel de acolhedor e educador sem tanto desgaste para a relação. 

Entendendo um pouco mais
Esta fase é marcada por muitas resoluções que definirão a identidade.  Este é o principal desafio da fase. Neste processo existem uma serie de questões que aparecerão para todo o jovem, estas serão as resoluções básicas.  Mas o "colorido" de cada jovem, isto é a suas particularidades,  será definido pelas suas próprias resoluções quanto a sua afetividade, segurança, confiança, autonomia, potencial criativo, curiosidade, produtividade, intelectualidade, questões relacionais, sexualidade ... Questões que estão ligadas as suas experiencias anteriores mais as suas experiencias atuais e ajustes próprios.

Caso algo não tenha ficado bem nas etapas anteriores, agora voltará e será revisto e é isto que determina o que conhecemos por "crise" da adolescência. Cada um com a sua. Mas ai está uma nova possibilidade de se ajustar as necessidades que a vida vai nos propondo. Algo muito positivo, mas trabalhoso.  

Para alguns pais pode ser um alívio entender que estas resoluções, neste momento, pedem internamente, um nível de distanciamento e de crítica aos pais e, mais alívio ainda, saber que muitos comportamentos são tidos como “normais” e fundamentais.


É bom saber que 
A lógica interna agora é de que os pais precisam ser relativamente “abandonados” e isso não é fácil, nem para eles nem para os pais. Para eles só tem um jeito (inconsciente é claro) “rejeita-los” em maior ou menor grau, para os pais resta entender e fazer o seu melhor possível.

Dica
Esteja atento ao seu filho, procure se informar sobre as características da adolescência para lidar melhor com o que vai aparecendo. Se ele estiver com muitas dificuldades procure um profissional que possa ajuda-lo a dialogar com alguém neutro, apoia-lo e informa-lo, sem que ele entenda que isto seja para coloca-lo nas rédeas. Eu mesma estou retomando um grupo de bate-papo com os jovens que precisam de um espaço para compartilhar suas questões com iguais. Logo estarei divulgando, enquanto isso disponibilizo minha ajuda no consultório. 

A baixo deixo um convite para um trabalho bem bom da estudiosa  Evânia Reichert. Eu estarei lá como ouvinte.   

 Para pais, educadores, terapeutas e interessados no tema
Coordenação Evânia Reichert
Dia 31 de agosto, das 19h às 22h30 em Porto Alegre 
Inscrições até o dia 19/08 têm 10% de desconto

ADOLESCÊNCIA
Uma oportunidade de integrar pendências da infância
___________________________________________________
Em um curso/seminário de três horas e meia, vamos adentrar nas etapas da crise da adolescência e no processo de resolução da identidade que marca essa idade. Com o fim da infância, irrompem os temas pendentes que necessitam ser integrados para a entrada no mundo adulto.
A adolescência é um momento crucial de resolução da nossa identidade. "Quem sou eu, o que quero fazer e viver?" são as perguntas centrais que marcam essa idade. É um momento decisivo para o adolescente e geralmente difícil para a relação pais e filhos, professores e alunos, mas também uma grande oportunidade de crescimento pessoal de adultos e adolescentes. O modo como os pais lidam com essas questões pode afetar, tanto positiva quanto negativamente o processo de resolução da identidade, crucial a quem está adolescendo.


Informações e inscrições com Joana Izabel: info.cursos@valedoser.com.br


20 de agosto de 2015

Primeiro bate-papo sobre sexualidade


Foi um evento e tanto! Eu e a Dra Carla Silveira Finocchiaro agradecemos as participantes que trocaram ideias e experiências, contribuindo muito. O inicio de um processo de revisão, atualização e reconhecimento do feminino e da vida sexual de todas.


Não perca os próximos! Inscrições no telefone (51) 33337052



16 de agosto de 2015

Claudia Guglieri no Jornal do Almoço

Para as que andam descuidadas com a sua imagem

Sim! Mulheres mais velhas, donas de casa super ocupadas, empresárias de tempo cheio, trabalhadoras incansáveis... todas podem e devem encontrar formas de se sentir bonitas. A vaidade, em sua dosagem certa, só faz bem!  


Jornal do Almoço


9 de agosto de 2015

Aos pais que ensinam sendo

Ninguém melhor do que um pai para mostrar que homens podem ser carinhosos e firmes; ninguém melhor do que um pai para ensinar que todos podem falar e também escutar; ninguém melhor para demonstrar a capacidade masculina de receber e dar atenção; ninguém melhor do que um pai que cuida, ensinando a cuidar; ninguém melhor para mostrar que as pessoas não são perfeitas e erram e, por isso, se desculpam; ninguém melhor para falar da importância do respeito ao outro, pedindo e também demonstrando respeito; ninguém melhor do que um pai para dar o exemplo de "pessoa", aceitando um filho que escolhe ser diferente dele e o assim também o ensina...

Feliz dia dos pais a todos os pais que dão o seu melhor! 

3 de agosto de 2015

Envelhecer sem ficar velho


Cada vez mais nós estamos atentos ao nosso  envelhecimento, estamos percebendo que podemos ficar  velhos sem o "ranço" que é imposto a idade. Eu gosto de brincar dizendo: meninas e meninos o jeito é envelhecer sem ficar velho.  Para mim ficar velho é se entregar a idade,  deixar de estar de bem com o  corpo, com o que faz, com seus sonhos, conquistas, aprendizados...

É verdade que cada um de nós sabe da pedra que lhe aperta o sapato, ou melhor, da ruga que lhe incomoda, do cansaço que lhe acompanha ou do medo e vergonha de ousar,  que lhe limita. O importante é nos darmos conta do que estamos passando e tentar sempre melhorar.

Por isso deixo abaixo  cinco pontos importantes a observarmos,  pense nisso.  A ideia é despertar o olhar para a sua vida e, quem sabe,  ajuda-lo  a se manter de bem com a  idade,  com qualidade e alegria. 
   
Ponto 1 : Você sabe o que lhe mantem vivo?  O que lhe dá brilho no olho?  Se você deixou isso de lado por algum motivo retome, mesmo que digam que não combina com pessoas mais velhas  A questão é se encher  de coragem e mãos a obra. Sem essa de velho não pode estudar, não pode namorar, transar, dançar, usar cabelos compridos... Se você se encanta com algo vá adiante!

Ponto 2 :  Como anda a sua saúde? A sua alimentação e atividade física terão grandes  pesos para a sua qualidade de vida. O fato é que com a idade o metabolismo baixa e é preciso diminuir a alimentação e aumentar os exercícios, assim grande parte do conjunto se equilibra.  Força aí, vale a pena!

Ponto 3 : Sexualidade, como está a sua? Sedução, esta ainda existe? Pois bem,  mulheres e homens  gostam de se sentir sedutores e desejar é tudo de bom.    E  quem não se sente contemplado com uma boa relação sexual, sem grandes idealizações é claro pois já não temos 30 ou 40 anos. Fazer amor, desfrutar dos prazeres do corpo ou simplesmente brincar de sedução, tudo vale para despertar o seu ser sexual... E por que não? Pense nisso e para as meninas com dificuldade de se ver como uma mulher que ainda pode viver a sua sexualidade, fica o convite para os meus bate-papos abertos.  Abaixo mais informações.

Ponto 4 : Você sabia que a medicina e as técnicas alternativas evoluíram muito na área de tratamento da menopausa, TPM e disfunções  hormonais diversas e sexuais. Hoje você tem disponível uma série de recursos que podem lhe ajudar a resgatar o seu estado químico e lhe permitir uma vida mais motivada, sem tantos sintomas desagradáveis e com bastante possibilidades de desfrute. E atenção as "encucações"  são um entrave!   Informe-se!  Um bom recurso é  a medicina ortomolecular,  esta pode avaliar o que lhe está faltando ou em excesso e lhe dar uma maior qualidade de vida.

Ponto 5 : Tente levar a vida com mais leveza e se aceite, aceite o que lhe cai nas mãos, mas sem ser passivo de mais. Permita-se  estar bem nos seus relacionamentos.  E já que os filhos já estão crescidos volte-se para sí e para o companheiro/a.  Pequenas atenções e mudanças podem fazer milagres quando falamos da vida a dois ou de qualidade na vida de solteiro.  Observe-se  e se precisar de uma ajudinha é só me procura que eu dou alguns empurrões.

É isto ai não tem receita de bolo, cada um é um. Olhe para você,  perceba como estão as suas coisas e não tenha medo de refletir e mudar.  Para mudar não tem idade!


Informações sobre o Ciclo de Palestra e Bate- papos sobre sexualidade feminina,    
Reinvenção Da Mulher: A Borboleta Sai Do Casulo
No telefone (51) 33337052. 
Os encontros são mensais e não tem custo.