2 de março de 2015

Sofrência ou alegrias?


Para muitos de nós acabaram-se as férias e agora parece que realmente está se iniciando o ano. Eu particularmente adoro sair e adoro voltar. Este período de descanso parece uma visitinha ao céu, que permite recarregar as baterias para a jornada que nos espera na vida como ela é. Nestes dias de folga experimentei do livre e despreocupado tempo das coisas com os meus queridos, foi muito bom. Mas de volta ao meu bom dia a dia, sinto alegria em retomar tudo.

É verdade que aqui não é o céu, tem muito o que fazer e no tempo do relógio,  então o jeito é nos esmerarmos em fazer dos nossos dias algo bom e o mais “colorido” possível.  Para mim, só assim tem sentido. E nestes momentos é que eu penso: todo limão pode se transformar em uma boa caipirinha! Mas há que se querer!

Na quarta-feira quando cheguei tinha uma pilha de jornais na porta de casa. Separei o que poderia me interessar mais e, diante de vários temas, dois me chamaram a atenção. Uma matéria sobre o nova febre do ritmo Sofrência e a estória do vestido que troca de cor conforme os olhos que o contemplam.

Para quem não se inteirou, sofrência trata-se de um neologismo criado a partir das palavras sofrimento e carência, mas está estourando como ritmo musical que dá voz a dor. Não é o meu estilo, mas nada teria de ruim falar de dor, se não fosse pela sua exaltação a vítima sem escolha que está em nós.
 
Quanto ao vestido azul e preto ou branco e dourado, este muda de cores conforme o seu observador. Eu não posso entrar no mérito das causa deste fenômeno, li varias explicações, mas gosto da ideia de que “cada um vê com os olhos que tem”.  E isso eu verifico dentro e fora do consultório.

Mas o que tem estes dois temas em especial? Os dois dependem de quem os interpreta e de como o faz. E isso é apenas uma pequena amostra de como somos regidos pelo que olhamos, ouvimos e percebemos.

Da escolha pela vítima carente e sofredora a como você lê e entende as diferentes situações de sua vida, tudo passa pelos seus filtros. Filtros que estão recheados dos seus conceitos e crenças de vida e que o levam para estas e aquelas escolhas, estes e aqueles caminhos. E isto é fato.

Sendo assim, o melhor é tomarmos ciência disto e de que sempre podemos fazer releituras, pois a vida se atualiza e nós mudamos, as pessoas mudam. Porque não estar atento e rever aqueles conceitos que podem nos impedir de achar que voltar das férias pode ser tão bom como sair?

Se você escolher pela dor, pode ter certeza que assim será e você será o seu deus que determinará isso. Se for o inverso da mesma forma será, só que este deus que está ai dentro de você estará mais de bem com o que constrói para si, para os seus e o seu mundo.
 
Pois que seja conforme a suas escolhas. E se precisar de um empurrãozinho para algum tipo de escolha diferente, pode me procurar que eu ajudo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário