25 de fevereiro de 2014

Retomando as atividades


Como uma boa representante do elemento Madeira, sou uma curiosa e quando se trata de influências externas, mais ainda. Tudo me interessa e merece um olhar.

Esta semana, ao voltar as atividades e fazer meus planos para o trabalho de consultório,  resgatei o meu jogo do I Ching para este ano e as leituras sobre o significado astrológico do Cavalo.

Dizem os astrólogos chineses que será um ano forte e de turbulências, mas estou apostando no aspecto branco do cavalo e na sua capacidade de movimentar com força, mas sem guerra.

A proposta para este ano é movimento e ação, apostando na verdade de sí mesmo e na paz.

O cavalo nos trás algo encantador,  abre as portas do “mais”, para a criatividade.  Conhecer a sí, experimentar-se, dar força a novidade e ao progresso pelo fazer e pela descoberta de poder.

No pessoal esta simbologia impulsiona a força dos possíveis jeitos de ser e se fazer diferente, pode dar coragem ao mostrar-se.  Nas relações estimula a descoberta de outros territórios. “Se sempre se fez assim e esta morno, porque não temperar? A energia do Cavalo estimula a saída da repetição, aciona e recomenda a ousadia”.  Já no âmbito social isto pode trazer certa confusão e talvez daí venham as turbulências. Deixar vir verdades, normalmente, gera reações e medo do que pode aparecer ou nascer... e, neste âmbito, as forças entram em conflito na tentativa de manter tudo igual.

Bem, conhecer as influências do Cavalo pode servir, no mínimo, de norte para o tanto que podemos desenvolver e aprender este ano. Gosto de pensar que este conhecimento é mais uma ferramenta para o encontro pessoal e de ajuda aos ajustes, especialmente, aos que não precisam ser oito e nem oitenta. Fica o convite para que cada um o aproveite como preferir! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário