31 de dezembro de 2013

Jogo do I Ching para 2014



Nas trocas de ano eu costumo publicar o I Ching jogado para o ano que está chegando. Um hábito antigo que contribui para a minha reflexão de virada e, depois, acompanha meus aprendizados. No livro de ensinamentos  “O grande” refere-se as maiores aprendizagens do discípulo, é para este que devemos caminhar e a partir deste viver.
Fica o convite para que você faça também as suas reflexões e desperte para a luz das lições.

2013 foi o ano do Hexagrama 9 Hsiau Ch’u  -  A Força Submissa 

Este orientava sobre a nossa incapacidade em controlar as forças que vinham para quebrar - “o pequeno” – tudo aquilo que está impedindo o crescimento, que está obscuro ou, poderíamos dizer, impuro e falso. Um ano difícil, eu disse para aqueles que me acompanhavam. Houveram obstáculos e dificuldades, mas aqueles que se entregaram as mudanças, terminam vitoriosos.  No consultório o aprendizado se deu a partir da máxima: “É preciso trocar os óculos”.  “Tente olhar diferente, observe e reflita sobre a lição e faça a sua diferença”.
É não foi fácil para muitas pessoas, mas profundamente importante para o resto das suas vidas.

Mas, vamos ao jogo para 2014. Ontem ao terminar este jogo tive um alívio - “ O pequeno parte, o grande se aproxima”.  Aí vem um ano de Paz!

Após a disciplina e o primeiro contato consciente com as forças renovadoras do espirito, as forças negativas da personalidade são absorvidas pelo poder e grandeza do espiritual. Quando o “pequeno dá lugar ao grande” o espiritual fará sentir sua presença. Céu e Terra se unem – a Imagem é a PAZ.

Em 2014 Hexagrama 11 Tai  - PAZ – O Grande se aproxima

Com a entrada do novo ano a orientação é, a partir do que se experimentou, colocar  a criatividade a serviço da sabedoria para equilibrar o percurso. A suavidade será a ferramenta mais adequada. 

Ao limpar o obscuro, ao enxergar os erros, as falhas, as más escolhas, esbarramos na tempestade e tivemos a chance de limpar. A energia ainda é de refazer, porém agora com o presente que nos é oferecido. Dar continuidade ao crescimento e a vinda do novo, porém de forma mais harmônica e em paz.

A frase que usarei no consultório chegou a mim por uma querida pessoa que acompanho e caiu como uma luva para as construções que visualizo para este ano - “ A realidade que eu sempre quis”.

A realidade que eu sempre quis, refere-se  a possibilidade de construir caminhos mais libertos dos próprios aprisionamentos. No ano que se passou aprendemos a valorizar o tanto de bom que cada situação nos traz, trocamos o foco, do percentual de negativo para o percentual de positivo de cada experiência. Tivemos a chance de aprender a olhar. Agora vamos transpor este olhar construtivo para a realidade que vivemos e dar o tom que queremos a esta realidade.

A ideia é perceber a própria força para a construção da realidade que se quer. O Hexagrama recomenda passos de paz. Quando não nos centramos no amargo deixamos que o doce harmonize e traga o bom tempero. 

Para aqueles que querem saber um pouco mais, abaixo deixo alguns dos principais aprendizados para este ano. Estes foram retirados das leituras das linhas do Hexagrama Tai , fazem parte das orientações do mestre. 

Trabalhe as limitações com sinceridade e mente penetrante; suporte gentilmente os “incultos”, cada um vai até onde pode; atravesse o rio com decisão, vencendo a inercia e o medo; não negligencie o longínquo, não abrindo mão das metas pelas quais sempre lutou; atente-se ao entorno e não só aos companheiros, é ano de doar mais aos estranhos; manter-se perseverante e sem culpa por mudar; não use o exército agora, não é propício usar a força e a violência pois teste a sabedoria de se olhar mais; e quando você achar que está pronto, seja modesto, a humildade mostra que podemos estar completos, mas nunca prontos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário