14 de dezembro de 2012

Lição Oriental


Após o grande mergulho 
o homem sábio respira...
Após tanta concentração na Psicologia, posso retomar o meu profundo amor pela visão oriental.





Cada sopro um vento,  
Cada rio uma correnteza...

O seu jeito é o mais certo? 
Assim é mais adequado? 
Deveria ser assim? 
Por que não desta forma?


Segundo os taoistas chineses a natureza é um organismo que progride sendo deixado ser. Wu-wei significa não interferir, não agir contra a tendência. Isto não significa passividade, significa observar e saber agir de acordo, significa respeitar, aceitar o outro.

Em chinês existe uma palavra cuja pronuncia é li, um ideograma que pode ser traduzido como razão, principio das coisas ou “padrão orgânico”. No I Ching podemos encontrar uma passagem que diz: quando olhamos para as nuvens, elas não são simétricas, não tem formas específicas e parelhas, mas nós sabemos que isto está em perfeita ordem. Isto é um padrão orgânico, não é uma bagunça. Esta passagem está se referindo aos diferentes modos de ser e as inúmeras situações que se apresentam nos percursos da vida. 

Se alguém sente, pensa, age, de uma maneira diferente da sua, esta pessoa está usando o seu padrão harmônico. Isto tem uma lógica, que para alguns pode parecer torta, mas que para ela tem a sua organização pessoal e um sentido. Quando alguém toma uma decisão que não seria a sua, escolhe o que jamais você escolheria, ela não está necessariamente errada, ela só tem outro jeito de se organizar.  

Assim como as nuvens nós deveríamos deixar as pessoas serem
Não é raro, especialmente em casais, um criticar arduamente a organização do outro, a forma, a lógica. Mas por que? O que está em jogo? Pensem nisso.

Também no I Ching e em muitas reflexões do Tao nós podemos ler:   o  homem de bem critica a organização das estrelas? Não, simplesmente aceita como elas são.

Mas quando se vive a dois, aceitar tudo é impossível. N
este caso existe um “nós” que deve ser contemplado.  Então negocie, promova combinações onde se possa flexibilizar mais do que criticar.

E porque não fazer o mesmo quando falamos do ser social? Aceitar e negociar com o vizinho, com o colega, com os amigos, prestadores de serviços... 

Como tudo seria mais fácil se nós sempre nos lembrássemos disso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário