26 de junho de 2012

Rabiscos em papel

A caminho de casa, sentado na barulhenta parte de trás da balsa, rabisquei num papel algumas imagens sobre o terapeuta criativo:


Não mais homem ou mulher
Um sábio
Um pai – não, mais um avô,
sem aflições –
Uma presença de plenitude
O oceano silencioso e sedoso do alto verão
Uma criança de olhos faiscantes
assistindo a tudo pela primeira vez
Colocando precisão no que vê –
uma generosidade pontuando significados –
Um professor, avivando as chamas de vidas sem vida
Um curador, enxergando o corpo brotando de si mesmo
Um sacerdote, tocando rostos com mãos de benção,
Um criador de casos,  moldando vidas com amorosa simplicidade
Um artesão despretensioso, moldando  energeticamente a  matéria
Um artista exausto de mentir para si,
avesso a pagar com generosas
fatias de mediocridade,
preferindo a raridade
do brilho pontiagudo.

Joseph Zinker

Nenhum comentário:

Postar um comentário