22 de maio de 2009

Estou de volta!

As férias foram ótimas e ainda estou digerindo tudo que vi e senti. Então para retomar nossos bate papos, mas com tudo presente, pensei em escrever sobre arte.

A Europa foi e sempre será o mundo dos mestres da pintura e eu fiquei encantada com o que vi e como cada um vê com os olhos que tem...

É impressionante o que foi produzido e dito do humano ao longo da história através das artes. A arte sempre foi um veiculo de comunicação e a igreja a usou como forma de educar o povo, passar mensagens morais. Mais ao longo da historia apareceram aqueles que além de comunicar tinham a clara intenção de fazer pensar e ainda aqueles que a usavam para protestar.

Foi fantástico ver as obras que vi, imaginando intenções ou momentos das pessoas que as propunham.

Algumas me tocaram mais. O Jardim das Delicias Terrenas do Bosch, que expressa o íntimo “pecaminoso” do humano, porém, com um certo deboche caricaturado, foi um deles.

Quando parei na frente desta obra me vinha a idéia de loucura traduzida por uma espécie de diálogo trágico, brincalhão e também uma genial mensagem de juízo que, para mim, explicita a intenção de que este juízo se dá aqui mesmo dentro das nossas mentes... “Só a mente é capaz de tais criações e fantasias tão grandes”.

E o mais fascinante é saber que suspeita-se ter sido pintado por volta de 1487 !


Outra pintura que me encantou também pelo caráter humano e divertido foi El Triunfo de Baco de Velásquez. Eu e o meu marido até compramos uma bandeja do quadro, naquelas conhecidas lojinhas de saída da visita de museu.

Neste não senti a loucura e menos ainda o pecaminoso, ao contrário, vi a permissão... Para quem não conhecem trata-se de uma cena em que o deus Baco está bebendo com simples mortais que, como eu imaginava, foram homens de fato beberrões que serviram de modelo para o pintor.


E já que estou falando de pinturas que tem pretensões, não poderia deixar de citar o famoso Guernica de Picasso. É um painel e tanto, realmente assombroso e encantador em conseguir atingir aos propósitos a que vem: criticar a ação estúpida e violenta do homem sobre o homem. Foi pintado com intenção clara de criticar e chamar a atenção para o massacre em Guernica em 1937. Depois fiquei sabendo que tratou-se de um exercício nazista para testar armamentos...

Bem, e assim seguem os dias e a minha esperança é que sigam também os registros, já que tudo mudou tanto e a pintura perdeu muito espaço no comunicar.

Mas saibam: de fato existem coisas lindas por ai, mas arte mesmo é saber apreciá-las cada um do seu jeito.

Um comentário: