20 de janeiro de 2009

Casal - Não espere tudo acabar!


O relacionamento a dois carrega em si muitos desafios que na maioria das vezes geram dificuldades e desgastes na convivência do dia-a-dia.

Que tal quebrarmos com o tabu de que a terapia de casal acaba em separação?

Estou propondo um modelo de terapia de casal que mescla Medicina Tradicional Chinesa e sua filosofia milenar com a, humanista e relacional, Gestalt terapia.

O resultado? Tem funcionado bastante, mas não pode ser tarde demais.

E qual é a formula? As diferenças individuais a favor e não contra.

Já a algum tempo venho investido no poder das diferenças. Elas são, ao contrário do que nós pensávamos, um impulso para união e não um fator de desunião. Este conceito vem da cultura chinesa, nele está contido a referência dos opostos complementares e este é o pilar da metodologia desta terapia.

Trata-se de uma prática terapêutica que parte do incentivo e ajuste das diferenças para estimular a riqueza da relação, o amadurecimento e harmonia do casal.

O nome da terapia? Método Sheng para casais.
Como é um método que não se aplica só para casais, mas para a terapia individual, grupos e equipes, chamo de Método Sheng dos Cinco Movimentos e, no caso dos casais, Método Sheng para casais.

Sheng pode significar vida, subida e descida da montanha.


É importante não esquecer de duas coisas fundamentais:

Reconhecer o seu movimento natural e o movimento do seu companheiro, olhando para o que é de cada um e que lhe confere um colorido próprio, isto ajuda muito a equilibrar movimentos e ajustar um “nós” que pode ser bem legal.

E também não deixar para quando não der mais tempo.


Psicologa Gestaltica, acupunturista e especialista em Medicina Chinesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário